CONEXÕES ET – A NAVE-MÃE BONANGREL

30-07-2010 16:52

Wesley H. Bateman – Telepata da Federação

*A descrição abaixo de uma nave-mãe extraterrestre foi telepaticamente narrada por Mocalar de Vitron, um ancião muito sábio. O fato de ele ser cego causou-me dificuldades físicas durante esta sessão telepática. A situação foi sanada pela assistência telepática de Dastremerkit de Vitron, que me relatou os pensamentos de Mocalar. Expressarei (exprimirei) essas informações com algumas de minhas próprias palavras para evitar a necessidade de interpretação do estilo de pensamento do transmissor.
(Wesley H. Bateman)
 

“Tenho visto suas passagens silenciosas pelos sóis duplos. Desde a tenra idade, na juventude, Ansiei par viver dentro de sua concha protetora e passar meu tempo de lá estar, à medida que você viaja pelos caminhos das distantes e eternas estrelas. Sou Mocalar de Vitron”.

Dei meus primeiros passos sobre os projetos, espalhados pelo chão de nossa habitação por meu pai, do que seria uma nave-mãe gigante. Sua profissão era compreender essas coisas e projetar as imensas Dantamas (naves-mães) para a grande casa de comércio nodiana de Vonner. Meu pai ficava longe de casa por longos períodos e morava com colegas e milhares de técnicos na nave especializada em construções e consertos chamada Gayloreena, que por milhares de anos terrestres orbitou nosso planeta natal Vitron. Este é aproximadamente 84 vezes maior que a Terra, sendo o único planetóide do radiar Ampt.

Este, como o planeta Júpiter em seu sistema, orbita um sol central; esse sol se chama Sost, sendo o sol ao qual vocês se referem como estrela Polaris. O radiar Ampt é tão gigante e brilhante que parece ser uma estrela secundária orbitando Sost. Assim, o sistema é erroneamente
classificado na Terra como sistema estelar binário. Os outros onze
planetas do sistema Sost descrevem órbitas ao redor do sol central como a Terra orbita seu sol, então. Esses corpos podem ser certamente denominados planetas [da palavra grega planetes — "errante" - W.B.].
 

Vida após vida permaneci e trabalhei em muitas naves-mães grandes, tanto em sua construção como operação, Em muitas ocasiões, ofereci-me como voluntário para participar da exploração de destinos de portões estelares nunca tentados. Isso significa que ninguém podia prever em que ponto do universo tal jornada acabaria, ou que perigos poderiam existir do outro lado do portão. Foi tempos de muita aventura para mim e meus corajosos amigos. A frase nit mittrac (nós dobramos) ainda me aquece o sangue.

No início dos tempos, as naves-mães e outros tipos de espaçonaves eram
projetadas para executar tarefas específicas, de maneira que possuíam
atributos individuais que acabávamos por apreciar e desfrutar. As pessoas desenvolviam sentimentos pelas várias naves e lhes davam nomes com afeição sincera. Atualmente fazem-se todos os esforços para produzir condições de vida que sejam confortáveis, contudo muito utilitárias. Acabaram-se a arte refinada e os espaços grandiosos que vem à mente quando nos lembramos das antigas naves-mães. As mudanças que aconteceram na nave-mãe atual se deveram ao aumento do número dos que buscam os caminhos do lado sombrio(os seres que tentam dominar todas as culturas planetárias possível, são das trevas). Esse aumento traz um aumento do perigo, pois esses veículos representam para eles alvos para destruição.

Um sem-número das naves-mães de hoje são apenas cascas com tripulação mínima. Essas naves são projetadas para ocupar (ligar-se em) portões estelares (Um portal estelar próximo de nosso sistema solar é a estrela ARCTURUS, da constelação de BOOTES) impedindo que sejam usados por aqueles que causariam estragos (dois objetos não podem ocupar o mesmo espaço). Essas naves também atuam como portos para pessoal militar em trânsito, locais de muitos tipos de administração, vários tipos de instalações para treinamento, depósitos e fazendas, bem como instalações para consertos e produção. Milhares de naves menores, projetadas exclusivamente para a guerra, são armazenadas e mantidas em inúmeros pavimentos. Esses tipos de atividades e ocupações forçadas (indesejadas) inevitavelmente desagradam os elohins. A energia física e espiritual despendida para produzir e manter tal nave-mãe é considerável, sendo assim perdida pelas correntes positivas de vida. Aguardo a época em que venha a paz universal e essas naves ostentarão, pela primeira vez, revestimentos de muitas cores e suas passagens e pavimentos serão decorados uma vez mais com as belas artes.

Como disse a nave-mãe de hoje, tanto da Federação como das casas de
comércio, nada tem de extraordinário. Seria preciso procurar muito tempo
para encontrar qualquer diferença individual em suas características externas ou internas, exceto por seus sistemas de propulsão, que são continuamente aperfeiçoados, em relação ao tempo de construção do veículo.

Seria um prazer descrever uma nave-mãe do modelo antigo, uma que, durante suas primeiras jornadas, teria pouca chance de encontrar as do "outro lado da roda," isto é, aqueles que, na época atual, espreitariam tanta beleza e a reduziriam a ruínas (os seres das trevas).

A NAVE-MÃE BONANGREL

A nave-mãe Bonangrel foi construída pela casa de comercio nodiana de Vonner há cerca de seis milhões de anos da Terra. Ela existe e funciona hoje como no tempo em que deixou seu local de criação. A Bonangrel recebeu seu nome do conto infantil de "El," que não conseguia cantar a Canção da
Criação com os outros elohins, porque sua harpa se quebrara. Devido a esse problema, ele criou a arte de assobiar música e ensinou os pássaros do universo a se comunicar dessa maneira.

Nossa conversa telepática começou há vários dias terrestres, quando me
encontrava em meu mundo natal de Vitron. No momento em que retomamos nossa conversa, estou a caminho da nave-mãe Bonangrel, atual mente orbitando o radiar Epeck num grupo estelar muito distante tanto de Vitron, quanto da Terra. Está cataloga do pela Federação como o Sistema de Cinco Estrelas. Daqui a pouco, usarei meu tempo futuro de vida no interior da Bonangrel. De preferência antes que qualquer um de nós tenha de se separar uma vez mais deste laço agradável.

O casco atual da Bonangrel tem 724 km de diâmetro em seu ponto mais largo, na horizontal, e 297,6 km de altura na vertical. Mesmo assim, seu tamanho global é aproximadamente 12% menor do que o da maior nave-mãe já construída na Federação. O arcabouço básico ( de 41,8 km de largura por 7,2 km de altura) e o sistema de propulsão dessa gigante levaram cerca de 32 anos terrestres para serem construídos, enquanto orbitava Vitron. Durante esse tempo de construção, centenas de naves de tamanho menor e igual eram também construídas em órbitas vitronianas vizinhas. Existem agora milhões e milhões desses radiares de construção de espaçonaves localizadas por toda a Federação.

Grandes naves-mães podem ser construídas apenas em órbita ao redor de radiares, onde não perturbem as forças gravitacionais do sistema, o que aconteceria se fossem construídas numa órbita planetária. De fato, muitas naves-mães grandes são proibidas de operar em alguns sistemas solares para evitar rupturas planetárias (em especial, mudanças drásticas no clima de um planeta e nas marés dos oceanos). Os radiares do sistema solar no qual vocês vivem, chamados Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, podem facilmente acomodar grandes naves-mães em órbita. Saturno é o porto mais propício de todos.

COMO AS NAVES-MÃES VIAJAM NUM SISTEMA SOLAR:

Uma frota de naves-mães pode entrar num sistema solar se empregar a técnica chamada de atração solar lenta. Depois de entrar na lente solar do
sistema, elas cortam sua própria força propulsora e permitem que o sol central as atraia em sua direção. Antes de a frota entrar muito fundo na lente solar e/ou antes de atravessar a órbita solar de qualquer planeta, as naves acionam sua propulsão e retornam à borda externa do sistema, onde permitem que o processo se repita várias vezes. Nesses períodos, veículos menores podem visitar os planetas internos e retornar à sua nave-mãe depois de concluírem suas missões. A frota de naves-mães da Federação ocupa-se atualmente de tais operações no sistema solar no qual você vive.

Depois que o arcabouço básico e o sistema de propulsão da Bonangrel foram totalmente construídos, a nave entrou em serviço. Com o passar do tempo, a nave foi sendo ampliada aos poucos até atingir seu tamanho atual. As ampliações progressivas foram graduais, sendo conduzidas em numerosas instalações de construção de Vonner localizadas por toda a Federação.

Ao nos aproximarmos da Bonangrel temos uma maravilhosa experiência visual. Suas superfícies externas são cobertas por murais em alto relevo e
detalhes que contam a história do El com a harpa quebrada. Esses murais, bem como outros tipos de informações escritas, são deslumbrantes, visto terem sido formados por quilômetros de pedras preciosas e esmaltes metálicos cozidos intensamente na radiação de milhões de estrelas e radiares visitados pela nave em sua longa existência.

Esses esmaltes metálicos contêm um registro molecular das emissões espectrográficas de todas as estrelas ou radiares que uma vez lançaram sua luz na superfície do veículo. Portanto, entre os materiais que compõem o revestimento da superfície da nave encontra-se o padrão espectral de todos os sistemas solares já visitados pela nave no universo. A energia psíquica consumida para criar essas imagens maravilhosas vai além da capacidade de cálculo de qualquer um.

O tempo gasto para percorrer muitas galáxias para alcançar uma nave-mãe pode ser considerado curto se comparado ao tempo que pode levar para se obter permissão para entrar no interior de uma Nave Mãe. Antes de receber permissão, é emitida uma ordem para se manter à distância ou uma ordem para afastar-se da área. A nave visitante, tripulação, passageiros e carga são "revistados" pelos que possuem a capacidade de vasculhar mentalmente o recém-chegado em busca de qualquer coisa que possa causar ruptura na função da nave-mãe ou perturbar a harmonia espiritual (wa) dos ocupantes da nave (os ocupantes podem chegar aos milhões).

Assemelha-se à vistoria na alfândega, que seria feita na Terra, em qualquer um que entrasse num país soberano proveniente de outro. Depois que a nave visitante é mentalmente vasculhada, os que estão aguardando começam a ter notícias do Monitor Zero da nave-mãe. Nos bastidores, pode-se entrar em contato com a Casa de Vonner, a Federação (mas isso nem sempre acontece) para discutir questões suspeitas que possam ter surgido durante a revista da nave visitante. Essas suspeitas podem ser postas de lado e não mais questionadas se forem decididas por uma "luz favorável de orientação divina" obtida pela Federação de uma pessoa que atingiu o mais elevado nível de percepção extra-sensorial ("o pensamento infinito").

Para receber qualquer tipo de instrução telepática da nave-mãe, todas as
comunicações telepáticas de dentro da nave visitante devem ser temporariamente suspensas. Se for concedida permissão para entrar na nave-mãe, orientações e instruções tanto sobre como atracar quanto sobre como entrar num porto de energia serão fornecidas pelo Monitor, ou por alguém designado pelo Monitor como autoridade. A nave na qual estou viajando atualmente será rapidamente liberada e encaminhada para o "pavimento Vonner." Esse pavimento recebe apenas naves transportando funcionários e dignatários da Federação e pessoal das casas de comércio de Vonner, Cre'ator e Domphey. Essas pessoas recebem as boas-vindas com honrarias de um grupo diplomático versado em todos os idiomas e costumes conhecidos da espécie humana, em geral liderado por um Alto Senhor de Planejamento de Vonner, que tem autoridade para dar a palavra final para a casa de comércio.

No caso da Bonangrel, o Alto Senhor que nos dará as boas-vindas será um amigo: o nodiano, Roke-Seralain, cópia de Senhor 2.993.00 da Casa de Vonner. Os visitantes serão indagados se desejam oferecer pessoalmente opiniões e aconselhamento em relação a qualquer tipo de questão que possa surgir durante sua permanência na nave. Alguns aceitarão essa honra e outros sejam lá por que motivos irão declinar. Alguns dos que chegaram a bordo de nossa nave visitante não sairão dela porque terão dificuldade em respirar a atmosfera de tipo rad da nave-mãe.

A atmosfera rad pode ser inalada por todos, mas é difícil para alguns se adaptarem a ela. Alguns dos que apresentam esse problema podem voluntariamente passar pelo desconforto temporário da mudança para a atmosfera rad, caso sua permanência dentro da nave-mãe vá ser longa. Fora ficar de uma tonalidade vermelha brilhante por algum tempo, eu mesmo não tenho problemas para fazer tal mudança.

Serão distribuídos discos de segurança pessoal, de cor preta e ornamentados com o triângulo prata com um lado direito duplo (símbolo da Casa de Vonner). Eles permitem acesso a várias partes da nave e permitem que se façam muitos tipos de compras de qualquer um dos milhares de lojistas e vendedores encontrados em áreas especificadas da nave. Algumas áreas da nave são barradas por campos de força. Esses campos não são prejudiciais nem provocam choques elétricos; dão a sensação de uma lâmina de borracha látex.

Quanto mais se tenta penetrar o campo de força, com mais força ele repele. O campo permite a entrada apenas se o disco mencionado anteriormente for programado para permitir acesso além dele. Muitas áreas da Bonangrel estão repletas de pessoas de muitos mundos da Federação que podem ser encontradas se misturando e interagindo umas com as outras. Esses locais, onde se podem ganhar novas experiências e considerável conhecimento, realmente excedem qualquer descrição que eu pudesse dar. Mesmo assim, tentarei descrever essas áreas exóticas da Bonangrel, bem como os muitos tipos de pessoas únicas e atividades que podem ser encontradas nesses lugares.

PLANO TÉRREO DA BONANGREL

A área de controle de vôo da Bonangrel é de formato circular, com
diâmetro de 228,6 m. Seu teto é um domo transparente de quase 26 m de altura na parte central. Essa cúpula escurece em certos pontos caso a intensidade de qualquer fonte de luz externa seja maior do que a tolerância visual da pessoa. O controle lembra um anfiteatro elevado por plataformas que se tornam mais estreitas à medida que avançam do solo para o teto. Essas plataformas são ocupadas por pessoas envolvidas tanto na operação exterior como interior da nave, bem como por telepatas ligados à Federação e à casa de comércio de Vonner. O acesso às plataformas é feito através do que se poderia chamar de escadas rolantes. No centro do pavimento de controle situa-se uma torre com inúmeras plataformas individuais com capacidade ele se deslocar do solo até o alto da estrutura, conforme o desejo de seu ocupante. Essas plataformas são ocupadas pelo alto comandante da nave e seus representantes. Os responsáveis pela movimentação e navegação do veículo também estão posicionados na torre central.

Mesmo nessa área muito ativa, o som fica em volume baixo, pois as ondas de som que ultrapassem certo volume são totalmente absorvidas ou reduzidas em energia antes de percorrerem 10 m. As vozes dos que estão na torre podem ser ouvidas fisicamente em todos os locais na área de controle, como se quem fala estivesse a apenas 1,5 m de qualquer ouvinte.

As naves-mães de projeto mais recente são, na verdade, duas naves combinadas numa só. A área de controle pode ser separada do outro veículo secundário funcional, porém sem capacidade de dobrar. Isso permite que se possam realizar vários tipos de missão. A seção de controle pode entrar num sistema solar onde as massas totais das duas partes da Nave Mãe, se estivessem reunidas, romperia o equilíbrio planetário. A porção de controle de uma nave é intercambiável com a outra e as partes secundárias de inúmeras naves podem ser deslocadas uma de cada vez para diferentes partes do universo por uma unidade de controle ativa.

Leva-se mais tempo para construir essas naves de controle com capacidade de dobrar, e a produção está sempre atrasada em relação à construção do tipo secundário de veículo. Muitos veículos que bloqueiam portões estelares normalmente não possuem nave primária de controle com capacidade de dobrar a ela ligada. A nave primária de controle acabará por desposar (ser designada para) uma dessas noivas de longa data. Segundo o código de honra mais rígido, uma nave primária de controle não se separa de sua companheira se a combinação estiver correndo algum tipo de perigo físico.

Abaixo da seção de controle primário encontra-se a seção de controle secundário. Essa área também tem o formato de um anfiteatro, porém com diâmetro maior e altura menor. O pessoal se dispõe em círculos concêntricos, lendo no centro o Monitor Zero de comando. As estações no círculo mais externo são ocupadas por pessoas (esperes) que lidam principalmente com a segurança externa e interna da nave. Esse círculo externo de pessoas também orienta qualquer contramedida militar que possa ser empregada para rechaçar qualquer forma de ataque de forças hostis. Indo em direção ao centro, os doze círculos de pessoal reúnem telepatas em constante comunicação com a casa de comércio de Vonner, no planeta Nodia, e a instalação da Federação mais próxima. Suas conversas telepáticas tratam de grande número de assuntos. Qualquer coisa que surja no curso dessas conversas telepáticas que seja considerada importante é imediatamente relatada ao Alto Comandante (Zero) e ao Monitor Zero da nave-mãe. A maioria dos círculos interiores é preenchida por em primeiro lugar, engenheiros, depois escudeiros (assistentes), aprendizes e os que atendem às necessidades físicas do pessoal em serviço. As áreas de repouso se localizam abaixo das estações de pessoal.

Minha amada Bonangrel não possui uma seção de controle primário separável do resto da nave. Embora seu pessoal de controle se distribua em dois níveis na mesma ordem descrita para o tipo mais novo de nave-mãe. É difícil melhorar certos tipos de organização.

Exatamente abaixo da superfície da quilha externa da nave situam-se importantes corredores de transporte, alguns dos quais possuem portos de
saída e de entrada para a nave. Os veículos de transporte podem sair para o espaço, cruzar a superfície da nave-mãe em alta velocidade e reentrar na nave em menos de um minuto depois em seu destino desejado. Esses veículos robóticos (programados, não controlados fisicamente) de transporte (pods) chegam a centenas de milhares e se parecem com fagulhas elétricas se movendo em todas as direções concebíveis do lado de fora da nave-mãe.

O transporte externo como esse pode ser suspenso instantaneamente sob certas condições. Pods de transporte se deslocando a velocidades mais baixas andam de um lado para outro nos corredores internos e livremente nas partes superiores dos vários pavimentos da nave-mãe. Alguns desses pavimentos têm 1.609 metros de altura (uma milha). As paredes dos corredores de transporte da Bonangrel são cobertas por sinais multicoloridos aparentemente sem sentido. Em alta velocidade, esses sinais se fundem formando imagens de panoramas e de animais e retratos de pessoas famosas.

Entre os dois pavimentos superiores de controle da nave-mãe e os últimos
dois ou três imensos pavimentos em sua base há alojamentos que vão do mais utilitário ao mais luxuoso e todos os outros tipos de instalações para
sustentar todos os estilos de vida universais conhecidos. Retornaremos a
essas áreas depois que eu descrever as partes inferiores da nave.

O pavimento mais inferior da Bonangrel tem 563 km de diâmetro. Nesse pavimento, até onde a vista alcança, encontram-se milhares de naves de guerra chamadas Valions (equivalente à ave que vocês denominam águia). Essas naves variam em tamanho de 91.4 m a 205,7 m de diâmetro. São empilhada uma em cima da outra, feito uma pilha de pratos. Quando armazenadas, os sistemas ativos de propulsão dessas águias são conectados ao (alimentam o) sistema de propulsão da nave-mãe, aumentando, assim, seu potencial de força de dobra.

As tripulações dessas águias, enquanto em serviço, vivem a bordo delas, sendo revezadas a cada quatro dias terrestres, aproximadamente. Essas naves de guerra são chamadas a "ninhada" ou a "cria" da mãe. Quando em perigo, a nave-mãe pode lançar toda sua cria em menos de cinco minutos. Faz isso inclinando e recolhendo o pavimento abaixo das naves águias, como a abertura de uma câmera. Elas automaticamente quebram sua conexão com o sistema de propulsão da nave-mãe, sendo sugadas para o vácuo espacial, e a atmosfera total e qualquer conteúdo solto da área de armazenagem é arrastado para o vazio. As naves se dispersam e operam como unidades individuais de comando, mentalmente unidas ao Monitor Zero da nave-mãe. Uma nave-mãe pode legalmente lançar sua cria depois de receber permissão para fazê-lo da casa de comércio de Vonner, que primeiro recebe permissão da Federação, seguindo uma "luz de orientação divina" favorável.

É uma operação cara, pois são necessárias várias semanas para restaurar
novamente uma atmosfera habitável no imenso pavimento de depósito. Se a nave-mãe for forçada a dobrar para fora da área e a cria tiver de ser deixada para trás, seu componente de naves águias passa a ser chamado de órfão. Quando criança, em vidas anteriores, meus amigos e eu encontrávamos um prazer brincalhão em entrar a toda em barreiras de campo de força, medindo nossa pene tração pela distância a que éramos repelidos para trás. Agora sinto igual prazer através dos olhos de Dastremerkit, o mais corajoso dos jovens de hoje que fazem o mesmo, arrancando rugidos dos tigres de dentes de sabre que vive com outros animais atrás desses campos de barreiras da reserva de vida selvagem da Bonangrel. Retornarei quando nossos três anéis se unirem uma vez mais. Sou Mocalar de Vitron.

DARTARGAS: AS TROPAS DA NAVE

O pavimento imediatamente acima do pavimento da cria é ocupado pelo pessoal militar da Federação e de Vonner. Essas tropas são chamadas dartargas e é comandado pelo mais elevado Senhor de Planejamento a bordo da nave-mãe naquela data, seja da Federação ou da Casa de Vonner. Esse Senhor de Planejamento é Roke-Seralain da Casa de Vonner, atualmente morando a bordo da Bonangrel. Há muitos postos e especialidades militares; o posto militar mais alto equivale ao que vocês chamariam de general. A insígnia do general de estado aberto é a mesma do general americano na Terra. A insígnia é uma estrela. Um general de estado aberto de uma estrela pode comandar todas as unidades militares baseadas em um sistema solar (contendo uma estrela).

Duas estrelas, três estrelas ou qualquer número de insígnias de estrelas adicionais significam que o militar pode comandar tropas localizadas num
número igual de sistemas solares. Há generais galácticos que chegam a
ostentar doze galáxias como insígnias.
Eles, claro, podem dirigir as
atividades militares de doze galáxias, cada uma consistindo de milhões de
estrelas. Mesmos esses nobres generais galácticos atuam como assessores de um Senhor de Planejamento da Federação ou de uma casa de comércio.

Os dartargas podem ser masculinos ou femininos e convivem por um período de cerca de cinco dias terrestres, durante o qual os soldados em postos mais baixos treinam sem parar, tanto mental como fisicamente (usando ROMs mentais de experiência real). O treinamento militar inclui o estudo da medicina, bem como engenharia estrutural e mecânica e todos os tipos de projeto e operação de espaçonaves (especialmente navegação intergaláctica). Os dartargas são voluntários e seus períodos de alistamento variam de três quatro anos terrestres.

Aqueles que demonstrarem possuir referências mentais excepcionais com respeito a qualquer assunto particular são apresentados aos métodos e procedimentos de revista mental e telepatia. São necessários muitos
anos para concluir esses últimos cursos, então os períodos de alistamento
devem ser prolongados para que as pessoas recebam o treinamento sem gastos pessoais. Alguns saem do curso para aprimorar suas capacidades de ·vasculhamento mental ou telepático sob orientação de instrutores profissionais caríssimos.

Esse tipo de enfoque abre as portas para posições muito bem remuneradas na Federação e nas casas de comércio, e a possível promoção máxima à posição de Senhor de Planejamento. Embora a capacidade do dartarga seja avaliada por superiores, que determinam se deve subir de posto, qualquer promoção real está sujeita a uma luz favorável de orientação divina. O posto estabelecido desse modo (por decreto universal) acompanha a pessoa vida após vida. Os dartargas, ao deixar o serviço da Federação ou casa de comércio, recebem metade de seu salário militar para o resto da vida, mas estão sujeitos à reconvocação para pleno serviço de uma hora para outra. Há muitos excelentes médicos, engenheiros e comandantes de espaçonaves que receberam seu treino básico enquanto serviam como dartargas. Depois de cinco dias de serviço, os dartargas estacionados numa nave-mãe estão livres para fazerem o que quiserem por quatro dias. Durante esses dias de folga, são vistos sozinhos ou em grupos em todas as áreas da nave-mãe, experienciando tudo o que a nave-mãe tem a oferecer em termos de educação e entretenimento. Menos de 20% de toda a força de dartargas na Federação possui companheiros permanentes que vivem com eles. Na maioria dos casos, o companheiro é também um dartarga.

Os hábitos sexuais e estilos de vida dos vários povos que visitam ou vivem
numa nave- mãe são tão numerosos quanto as estrelas do universo. Em todos os meus anos de vida, nunca consegui descrever as atividades sexuais íntimas de uma cultura sem ofender alguém de outra cultura ou lhe causar repugnância. As exceções à regra são os que buscam saber tudo o que puderem sobre várias práticas sexuais para prosseguir com o "pensamento infinito" sobre o assunto. Os saturnianos de seu sistema cerram ouvidos e mentes ao assunto de práticas sexuais universais, ao passo que os marcianos estão sempre atentos a qualquer informação que lhes seja novidade.

Nos vários pavimentos intermediários da Bonangrel, com certeza vamos
encontrar pessoas nuas ou vestidas de maneira muito provocante em meio
a outras completamente vestidas. Os puritanos que se chocam ou ofendem dão sua energia psíquica aos impudentes. Muitos acabam por aprender uma lição de controle emocional e ignoram tais visões. Os que são como eu apreciam o que é considerado bizarro numa conduta emocional muito conservadora. O sexo é tanto um ato de comunicação como um ato de subcriação.

Os profundos conhecedores do assunto sobre sexo e que empregam o ato como parte da forma de arte de comunicação podem também ser grandes emopthas e curandeiros. Embora essas práticas possam ser desprezadas por algumas culturas, é fato bem sabido que algumas, que buscam uma profissão que use o ato sexual como ferramenta, realmente agradam os elohins.
 

O sexo como meio de procriação pode ser desempenhado por aqueles entre nós com as mentes mais rudimentares, os quais, através de seus desejos
legítimos, produzem uma descendência que, infelizmente, encontra dificuldades de enfrentar os aspectos mais simples da vida. Esse direito de acasalar é um privilégio universal que ninguém pode ou deve negar a outro ser humano. Companheiros de mundos diferentes conseguem, em raras ocasiões, gerar filhos que podem ser realmente chamados de Titãs. Com mais freqüência, o resultado de tal união é, em geral, um desastre biológico. Essas crianças são amadas pelos elohins. que as favorecem de maneiras que elas nunca conseguem entender. Temos o velho ditado; "Quando em perigo, agarre-se a um tolo e os els salvarão os dois." É a vida. | Dastremer kit. o ajudante de Mocalar, riu e disse que ficaria fora do alcance físico de Mocalar - W.B.|

Há 48 pavimentos intermediários abertos e vários subpavimentos onde são conduzidas atividades secretas da casa de comércio de Vonner. Esses pavimentos também contêm registros de ROMs mentais sobre vários assuntos, inclusive o livro de bordo da Bonangrel descrevendo seis milhões de anos de existência e operação. Os registros mais secretos são a localização de portões estelares conhecidos apenas pela Casa de Vonner e pela Federação, bem como o tempo de dobra entre eles.

O sistema de navegação da Bonangrel é preestabelecido no rumo de alguma destinação remota de dobra. Esse destino é do conhecimento apenas do Alto Senhor de Planejamento, o Alto Comandante (Zero) e do Monitor Zero da nave. Num instante o Zero pode transmutar as moléculas e átomos do veículo maciço, bem como toda a vida a bordo, de matéria para antimatéria. Depois de um período de tempo predeterminado que varia de segundos até horas, a nave e seus ocupantes revertem de antimatéria para matéria na forma como a conhecemos no universo.

Durante o estágio de dobra, o universo positivo em que vivemos trata a nave como algo a ser totalmente expulso de seus limites. Não há nenhuma diferença perceptível entre um corpo de matéria positiva e um corpo de antimatéria. Depois do período apropriado de tempo, a nave retorna ao estado de matéria positiva e é uma vez mais aceita pelo universo em que existimos.

Um período de dobra ele cinco minutos pode levar uma nave-mãe a um milhão de vezes mais distante de seu ponto de partida (usando um portão estelar) do que um período de dobra de horas. O tempo não tem relação alguma com distância, portanto, a localização de um portão estelar e os horários exatos de dobra para outros portões estelares localizados em outro local no universo são igualmente importantes e, assim, mantidos em segredo para impedir que a informação caia nas mãos dos do lado escuro. Uma nave sujeita a um período de dobra da mesmíssima duração retornará a seu ponto de partida original (portão estelar de primeira partida).

Há uma condição física chamada mal da dobra que em geral, afligem veteranos como eu que dobraram demasiadas vezes sem o benefício do antídoto eletrônico hoje existente. O antídoto estabiliza a ressonância molecular do corpo. Osserus de Nodia, que dirige a Federação de seu posto mais elevado, também sofre um pouco dessa doença.

Diretamente abaixo dos dois pavimentos de controle superiores e de
inúmeros pavimentos secretos fica o pavimento Vonner. Esse pavimento tem capacidade para abrigar quase 45 espaçonaves da classe águia ou quatro da classe "tark" (de até 3.2 km de comprimento e formato cilíndrico). Tark, nome de origem Sol-Tec, pode ser traduzido por fênix, a ave que simboliza a ressurreição. Naves espaciais da classe tark podem abrigar até quatro naves de classe águia. Algumas das novas conseguem dobrar, mas, em geral, usam seus sistemas de propulsão acionados pela luz para viagens interestelares (estrela a estrela).

Algumas naves classe águia e mesmo as mais novas naves de excursão atmosférica (com diâmetros de 7,6 m ou mais) apresentam capacidade de dobrar. Pode-se reconhecer o equipamento de dobra nesses veículos pequenos como a seção superior central do veículo, semelhante a uma coroa com inúmeras extrusões. [Essas naves são às vezes chamadas de naves de raios, no jargão ufológico de hoje - W.B.]

O interior do pavimento Vonner tem aparência magnífica. Cobre um pouco
mais de 32 km e possui alturas de teto variáveis, tendo a mais alta cerca de
170 m. Esse pavimento contém apartamentos de luxo, teatros, salões de
banquete e um lindo parque com árvores e um lago circundado por vilas
espraiadas construídas com os materiais mais raros e assentadas em jardins exóticos — nos limites de um campo de força no qual residem belos
animais selvagens de muitos mundos. Os interiores dessas vilas são decorados com obras de arte deslumbrantes na forma de murais, quadros e esculturas reunidas de muitos mundos.

 Cada vila tem seu próprio pessoal. Caso solicitado, podem se reunir músicos versados na música de uma grande variedade de culturas. A área do lago é o lar de pássaros que esvoaçam pelo ar, excitando os olhos com suas cores brilhantes. Pássaros parecidos com papagaios não só imitam a fala humana, como realmente conversam entre si nos idiomas de muitas culturas humanas universais. De algum modo, sabem que língua você fala se acaso quiserem informá-lo de que querem algo para comer. Uma vez ouvi uma das fêmeas dessas aves reclamando que outra fêmea estava sentada em seus ovos; ela queria que o humano responsável fizesse alguma coisa. Depois de se expressar de uma maneira limitada, voltam a ser aves como as conhecemos. Elas não respondem à fala humana. Sua atitude é "não nos chame, chamaremos vocês."

Vasculhadores mentais da mais alta capacidade e dartargas de elite andam discretamente pelo pavimento, proporcionando segurança aos moradores. Atualmente, resido no pavimento Vonner em uma das vilas perto do lago. De um balcão baixo vejo, pelos olhos de meu assistente, três corts (clones que vocês conhecem por Grays, Cinzentos) sentados sob uma árvore entretidos num jogo semelhante ao que vocês conhecem por dominó. Também estão alimentando criaturinhas peludas que se acercam deles e, então, saem correndo, depois de receber a comida que os corts ocasionalmente lhes dão de um balde de cor verde. Dizem-me que esses corts também estão empregados aqui como cuidadores de animais. É estranho, pois a maioria dos animais dessa área são alimentados automaticamente em estações alimentadoras que requerem pouca ou nenhuma atenção humana.

Quando eu tinha minha visão física, gostava e ficar perto de uma massa de água numa nave-mãe. Estive em tal localização durante os primeiros poucos minutos do processo de dobra, quando se pode enxergar a água se tornando laranja-dourado e ouvir o som das moléculas de água se comprimindo logo antes de sua transmutação de matéria para antimatéria. A ressonância simpática que ocorre entre as moléculas de água do lago e as moléculas de água no corpo da pessoa cria um sentimento momentâneo de extremo êxtase.

No futuro próximo, vou encontrar-me encontrar com Roke-Seralain e outros de nosso sistema solar natal em algum jardim lindo do pavimento Vonner, onde festejaremos e cantaremos nostalgicamente todas as canções que nossas mentes antigas conseguirem lembrar. Oh, se ao menos Tinsel, o mestre cantor da Casa de Cre'ator, estivesse conosco, que prazer imenso seria! Sua voz pode dar a impressão, para a mente, de um coro de muitas vozes angélicas acompanhado pelas harpas dos elohins. Todos sabem que seu talento os agrada. [Nota: o poema "Passo Gigante" foi escrito, em inglês, por Tinsel da Casa de Creator- W.B.|

A Bonangrel somente recebe em seus pavimentos intermediários espaçonaves que sejam da Federação ou originárias de um mundo que possua um acordo de comércio com a Casa de Vonner. Naves de qualquer outra afiliação podem, em condições de emergência, ter permissão para atracar em seu casco superficial. Raramente as tripulações de tais naves recebem permissão paia entrar no interior da nave-mãe sem um apadrinhamento aceitável (como o de outra casa de comércio).

Essa é a política de todas as casas comerciais da Federação proprietárias
de naves-mães. Mas não é a política operacional das naves-mães da Federação. Do número total de naves-mães da Federação, relativamente poucas são empregadas na conexão a portões estelares. Se uma nave-mãe da Federação deseja acesso a um por tão estelar bloqueado, a nave sentinela sai imediatamente do caminho. As naves-mães da Federação se deslocam constantemente de ponto a ponto no universo num circuito regular, porém imprevisível. Às vezes, sem o conhecimento prévio de ninguém de sua tripulação, elas são agrupadas em frotas e, então, dispersadas de maneira igualmente misteriosa, sem que os Senhores de Planejamento da Federação apresentem qualquer justificativa.

Aproximadamente a cada 28 meses terrestres, as instalações da Federação são usadas sucessivamente pelas três principais casas de comercio nodianas de Creator. Vonner e Domphey e por trilhões e trilhões de outras casas de comércio da Federação. Essas outras casas são divididas em três grupos, cada grupo afiliado a uma das casas principais. Atualmente. a Casa de Cre'ator tem a prioridade da Federação, ou seja, caso três naves (uma de cada casa principal) desejem ser recebidas por uma nave-mãe da Federação e levadas através de um portão estelar e houver espaço para apenas uma nave, a nave Cre’ator ‘será recebida e as outras terão de esperar pelo próximo meio disponível de atravessar o portão.

O tráfego mental de Cre'ator é retransmitido pelos telepatas da Federação; Cre'ator tem também acesso prioritário a todos os ROMs da Federação que não se relacionem a assuntos particulares de qualquer outra casa de comércio. Depois de 28 meses terrestres, a Casa de Cre'ator e suas associadas entregarão a prioridade da Federação para a Casa de Vonner e suas associadas. Após o mesmo período de tempo, Vonner passará a prioridade da Federação para a Casa de Domphey.

Nos últimos dez anos terrestres, as casas de Vonner, Domphey e algumas de suas associadas adiaram seu uso da Federação, deixando-a temporariamente nas mãos da Casa de Cre'ator. Isso se deve aos perigos desta época e ao fato de que as frotas de Cre'ator são mais numerosas dos que as das outras casas de comércio numa proporção de cerca de três para um.

Os pavimentos intermediários da Bonangrel são bem diferentes uns dos
outros. Alguns estão perpetuamente no inverno, primavera, verão ou outono. Isso se deve ao Fato de que as pessoas de alguns mundos da Federação nunca experienciaram fisicamente mais do que um tipo de estação climática. Isto é, algumas experienciaram, em seu mundo natal particular, quatro estações, três estações, duas estações ou talvez, uma estação contínua de um tipo ou outro. Embora as temperaturas e a umidade das várias estações sejam mantidas, não se produz neve nem chuva nesses pavimentos.

Alguns pavimentos são chamados de eremitas. Neles encontram-se naves
ocupadas por pessoas que, ou não toleram a conversão de sua atmosfera
natal, de inalação mais fácil, para a atmosfera rad genérica da nave-mãe, ou não permanecerão na nave-mãe por tempo suficiente que justifique a mudança para a rad e depois à volta à atmosfera de seu próprio veículo. Em todos os pavimentos junto aos pavimentos de controle e ao pavimento Vonner, desenvolve-se algum tipo de atividade humana frenética. Cargas são carregadas e descarregadas e naves visitantes que vieram fazer negócio ou concluíram transações na nave-mãe estacionária estão aterrissando e parando ou sendo enviadas a caminho de outra destinação no universo.

Todas as propostas concebíveis de negócios estão sendo discutidas verbalmente, verbalmente com gestos de mão, ou telepaticamente. Muitas dessas transações são conduzidas em particular por representantes de Vonner ou por grupos particulares negociando em volumes de mercadorias que não são de tanto interesse para os da casa de comércio. Muitos desses encontros são arbitrados por telepatas pagos que se certificam de que todas as partes disseram o que pensaram e vice-versa e, portanto, realmente concordam umas com as outras.

As pessoas que sabidamente cometerem atos contra o Plano Mestre do Criador de Todas as Coisas seriam chamadas de criminosas pelos habitantes da Terra. Algumas das que foram trazidas para a Bonangrel cometeram muitos tipos diferentes de crimes, desde o que vocês chamariam crimes de colarinho branco até os mais violentos crimes de estupro e assassinato. Podem-se encontrar essas pessoas vivendo e trabalhando em meio aos que jamais cogitaram cometer um ato criminoso, (os "krims", como são chamados (o som é parecido com a palavra criminoso, não é?), trabalham em muitas funções, mas em nenhuma função relacionada à operação de nave-mãe.

São mentalmente ligados ao que se pode chamar de biocomputador. Se o krim produz qualquer padrão de pensamento de natureza criminosa, o biocomputador responde com um sinal que faz com que o transgressor caia no chão em coma ou sente passivamente com um ar aparvalhado no rosto. Raramente são incumbidos de trabalhos perigosos. O encarceramento penalizaria a sociedade de muitas maneiras óbvias. Esse modo de lidar com criminosos e de limitá-los permite (em alguns casos) que talentos humanos valiosos sejam empregados para o bem da maioria.

A execução de nada serve. Apenas liberta a essência psíquica do krim para reencarnar, novamente com seus impulsos criminosos ilimitados, numa época futura. Os krims são retirados do quadro de krims somente quando uma luz de orientação divina favorável aprova um pedido para tanto. Sei de alguns que, embora já tivessem se sujeitado aos efeitos da condição de krim agora andam como príncipes entre seus semelhantes.

As instalações médicas da Bonangrel tratam muitos tipos de ferimentos
físicos e doenças exóticas. Essas instalações mantêm contato telepático
aberto com o mais próximo Med-Plat da Federação. O Med-Plat contém o registro do tratamento apropriado para todas as doenças já encontradas em qualquer mundo da Federação. As mulheres de alguns mundos acolhem de bom grado a assistência das instalações médicas durante o parto. Outras mulheres, devido a razões religiosas, preferem morrer a permitir que um estranho seja o primeiro a tocar seu recém-nascido. Algumas mulheres solicitam que pessoas de grande estatura física ou mental sejam as primeiras a lançar uma sombra sobre seu bebê. Os rituais religiosos relacionados ao nascimento são tão numerosos quanto as gotas de chuva numa tempestade.

As instalações médicas da Bonangrel tratam, principalmente, o mal da dobra nos que porventura possuam o problema. Muitas doenças são tratadas através de métodos que mentalmente utilizam níveis elevados do campo universal de vida. È triste que esses níveis elo campo de vida não estejam disponíveis para o povo médico da Terra [devido a restrições ela Barreira ele Freqüência - W.B. ]

As instalações médicas da Bonangrel são operadas por civis e muitos dartargas voluntários em busca de experiências valiosas. O envelhecimento é tratado como uma doença. Como sou muito velho, devo, portanto, ser muito doente, embora me sinta realmente maravilhoso. (O que os médicos sabem realmente?) Na minha próxima vida, aceitarei tratamentos de estabilização molecular depois de cada experiência de dobra e, assim, conservarei minha visão por mais de 2800 anos terrestres, caso viva tanto tempo novamente.

Drogas e outras formas de estimulantes são sempre detectadas por vasculhadores mentais que realizam uma busca constante. Vocês talvez fiquem surpresos com o fato de que apenas uma droga chamada jotcoals (um afrodisíaco forte) seja totalmente proibida pela Federação. Muitas culturas usam alucinógenos em cerimônias religiosas. É um crime sujeito a punição dar a outra pessoa (desavisada) qualquer tipo de droga. O uso de drogas e seus efeitos são de responsabilidade individual da pessoa.

A observação dos efeitos nocivos e as mortes dos que imprudentemente usaram drogas além de seus limites físicos de tolerância é um exemplo vivo muito poderoso. Recomendei aos ignorantes ROMs mentais que simulam os efeitos de certas drogas e outros ROMs que retratam a agonia física e mental dos que eram tão viciados que estava além de sua vontade resistir a algumas substâncias. Posso sinceramente dizer que, há pelo menos 950 anos terrestres de minha vida, não encontro um viciado em drogas em minhas viagens na Federação. Os que pertencem ao lado das trevas usam drogas para controlar os outros e forçá-los a cumprir suas ordens para obter aquilo que sacia sua fome. "Se estiver em perigo e não houver um tolo por perto, não se agarre a um alcoólatra ou viciado ou nele confie. O elohim deixará que os dois sejam tragados pelos redemoinhos de trevas e danação."

Na Bonangrel, a morte ocorre como ocorre nos outro lugares do universo. As pessoas morrem de acidentes (muito raramente) e de causas naturais (também muito raramente). Houve três mortes naturais a bordo da Bonangrel nos últimos 32,8 anos terrestres e nenhuma morte acidental há 106,2 anos terrestres. Desde que a Bonangrel deixou seu local de construção, há seis milhões de anos, 823 pessoas alcançaram o "pensamento infinito" dentro de sua concha.

Bastaria uma única ocorrência dessas para classificar a nave automaticamente como uma relíquia sagrada pela Federação. Algumas pessoas planejam peregrinações à nave, possivelmente para adquirir dela algum tipo de poder espiritual. Em seu único encontro com as forças das trevas, quase 108 mil dos ocupantes da nave-mãe foram mortos. Essa batalha aconteceu há de 1.342 anos terrestres.

Os pavimentos intermediários da nave-mãe Bonangrel contêm espaçonaves em mau estado. Seria constrangedor descrever como os operadores conseguem sobre viver em seu interior ou propelidas pelo espaço. Há naves em muitos estágios de conserto ou desmanche. Algumas foram deixadas em suas posições atuais há centenas de anos e estão aguardando luzes de orientação divina que permitam seu destino final.Estou cansado, mas se alguém desejar- saber qual quer coisa que eu possa saber de naves-mães. esteja à vontade para me chamar.

Na vida futura, que a luz de nossa estrela natal. Sost novamente desenhe
nossas duas sombras. Até lá, rezo ao elohim que lhes dê sabedoria enquanto andam em meio às serpentes. EphphaTha [antigo termo aramaico que se traduz "Que tu te abras"], do Cre'ator."
|Alguém como você rezar por mim me enche de alegria. Ephphatha, Mocalar de Vonner. - W.B.|
 

Cavaleiros da Cruz Solar Até os portões do inferno lutará este homem para do universo conservar a ordem?

Certamente. É um Cavaleiro da Cruz Solar. Pode ele usar um emblema sobre o coração a nos contar a todos que venceu a provação?

Ele tem o direito. É um Cavaleiro da Cruz Solar. Será seu cálculo preciso para pilotar sua nave rumo ao paraíso?

Um anjo escoltará seu vôo. É um Cavaleiro da Cruz Solar.

(O que vivifica o espírito não tem homem como autor  .)

 

Autor: Wesley H. Bateman

http://www.shtareer.com.br/materias/me.php?cb=1&ac=1033

—————

Voltar