"O que conta não é o que fazemos, mas o amor que colocamos no que fazemos, dizia Madre Tereza

  
Num Mundo onde impera o egoísmo temos a rica oportunidadede admirar o trabalho e saber um pouco de um ser que contaminaa todos com o seu imenso amor.O amor verdadeiro amor que faz da humildade instrumento para ajudar aos menos favorecidos pela vida. Madre Tereza é nosso espelho podemos dizer nosso ídolo,temos profunda admiração por este ser abençoado por DEUS. Que se preocupou, mais que isso, se ocupou em fazer de sua caminhada a luz que ilumina e conforta os corações sofridos,com tamanha generosidade e amor doação. Esquecendo-se de si e dedicando-se totalmente à humanidade.
 
Vera Lúcia de Oliveira
 
Em 27 de agosto de 1910, um dia especial nasce Agnese Gonxha Bojaxhin nada mais nada menos que MadreTereza de Calcutá, em Skopje, cidade albanesa do Kossovo que alguns anos depois, passaria ao domínio da Iugoslávia. A menina veio ao mundo numa família católica, feliz e abastada. Seu pai Nicola Bojaxhiu, um próspero comerciante formado em Farmácia sua mãe Drone, uma mulher jovem e bela. Tiveram 3 filhos, Lazar, Ágata e Agnese (Madre Teresa) que era chamada pela família "Gonxha" que em albanês significa "botão de Flor". Agnese (MadreTeresa) seguiu a vida de religiosa influenciada por padres da região.
Ingressou aos 18 anos na Ordem Nossa Senhora de Loreto.Como freira adotou o nome de Madre Tereza de Calcutá. Foi para um Mosteiro em Dublin, na Irlanda de lá enviada para India, na Cidade de Calcutá, onde vestiu o hábito, em 1928. Em 1931, passou a ensinar crianças bem-nascidas ministrando aulas de História e Geografia, seguindo o lema: " Educai a classe alta, que por sua vez ensinará a vida cristã aos pobres" Em 1934, faz votos perpétuos na Congregação e torna-se Diretora do setor bengali da Universidade. Em outubro de 1946, ao presenciar, durante uma viagem de trem, a mistura de homens e animais amontoados, extremamente sujos e com odor desagradável, enquanto seguia a viagem Madre Teresa, tentava buscar uma resposta nos seus princípios religiosos uma explicação para tanta dor. Não ficava incomodada com a presença daqueles pobres miseráveis, embora estando acostumada a limpeza e higiene perfeita do Colégio de St. Mery's School, onde suas alunas estavam sempre bem vestidas e perfumadas. Após rigorosa reflexão, Madre Teresa que sempre foi muito disciplinada e prudente, não se deixava levar pelo entusiasmo. Mas sabia no fundo de sua alma que teria uma missão a cumprir. Que após aquela viagem sua vida mudaria radicalmente. Teria um longo e difícil caminho a seguir. Porém tinha a certeza que Deus lhe daria força e fé para levar avante a sua missão. Após cumprir todos os tramites legais e providências jurídicas obteve a permissão para viver fora do convento. E ao constatar que poderia cumprir a sua missão de uma forma mais objetiva decidiu largar às aulas para dedicar-se exclusivamente aos pobres, observando de perto os sofrimentos de irmãos menos abastados, os miseráveis. Em 16 de agosto de 1948, Madre Teresa deixa o hábito de freira e abandona o Convento.
 
 

 Quando viu fecharem-se as portas do conventos às suas costas experimentou um profundo sentimento de desorientação, viu-se sozinha nas ruas de Calcutá, foi tomada pela angústia, sozinha sem casa , dinheiro, trabalho sem saber onde dormir. Tinha apenas a permissão do Papa para viver temporariamente fora do convento, para fundar uma nova Congregação religiosa. Transferiu-se para Patna para fazer um curso de enfermagem, frequentou o curso durante quatro meses, onde aprendeu o que em geral se ensinam em um ano.

 25 de dezembro de 1948, Madre Teresa começa oficialmente a sua nova missão a serviço dos mais pobres dentre os pobres, data que ela escolhera por ser aniversário de Cristo. Chegando a Calcutá foi visitar uma favela que conhecia, Motijhil, para confraternizarse no dia de Natal com as mulheres e crianças. Procurou um lugar para morar. Uma mulher alugou-lhe uma cabana muito pobre por cinco rupias por mes. Aquela foi a sua primeira casa. Na manhã seguinte já se ouvia a voz de Madre Teresa ensinando a cinco crianças as primeiras letras do alfabeto bengali. No quarto não havia móveis nem quadro negro. Com uma varinha a Madre escrevia as letras no chão de terra. Até poucos meses antes Madre Teresa era a diretora da célebre High School ao lado da favela onde ela se encontrava agora.

 

E assim tudo começou. Com a ajuda de ex-alunas de famílias abastadas. Desde então passou a recolher mendigos, doentes, crianças abandonadas, drogados, alcoolatras, velhinhos, aideticos e recuperar ex-presidiários. Ganhou notoriedade mundial por seu trabalho, que começou sem apoio financeiro, mas com ajuda de moças indianas. Elas assumiram quatro votos: pobreza, caridade, obediência e o principal deles, compaixão. Vestindo apenas saris indianos e sandálias. Em l950 foi fundada a Ordem das Missionárias da Caridade.

 

Em 1952 Madre Teresa funda a sua primeira grande obra social em Nirmal Hriday a "Casa dos Moribundos" . Apesar de difícil o caminho que escolheu, lutou com as armas do amor e com muita determinação acabou por vencer. Houve momentos que ela pensou em desistir devido às perseguições, pois muitos não entendem a nobreza de espírito de quem se dedica de corpo e alma à humanidade. Certa feita em uma de suas meditações escreveu: "Meu Deus, por livre escolha e por Teu amor, desejo permanecer aqui e fazer o que a Tua vontade exige de mim. Não! Não voltarei atrás. . A minha comunidade são os pobres. A tua segurança é a minha. A tua saúde é a minha. A minha casa é a casa dos pobres. Não apenas dos pobres, mas dos mais pobres dos pobres. Daqueles de quem as pessoas já não querem se aproximar, com medo do contágio e da sujeira, porque estão cobertos de micróbios e vermes. Daqueles que não vão rezar nos templos, porque não podem sair nus de casa. Daqueles que já não comem porque não têm forças para comer. Daqueles que se deixam cair pelas ruas, conscientes de que irão morrer e ao lado dos quais os vivos passam, sem lhes prestar atenção. Daqueles que já não choram, porque se lhes esgotaram as lágrimas. Dos intocáveis."

Alguns exemplos dos frutos do amor e fé semeados e dedicados por Madre Tereza à humanidade: Um dia Madre Tereza, encontrou um bebê semimorto no lixo. Aplicou-lhe respiração boca-a-boca. Disseram-lhe que a criança estava morta. Porém ela não desistiu e quando o bebê deu sinal de vida, ela o apertou contra o peito e gritou: "está vivo!" E o levou para casa. Contagiou a muitos com o seu imenso amor... Um casal a procurou e lhe entregou uma grande quantia em dinheiro. Disseram-lhe que haviam se casado há dois dias. Resolveram não usar trajes de núpcias nem celebração e lhe trouxeram o dinheiro que seria gasto com o casamento. Nós a amamos muito e pensamos que seria lindo compartilhar o nosso amor com os pobres que a senhora serve. Houve um período em Calcutá que havia escasses de açucar, espalhou-se pela cidade que a Madre teresa não tinha açucar para seus orfãos. Certa noite chegou um casal com o seu filho de seis anos ele trazia nas mãos um vidrinho. Por uma semana havia se recusado a comer açucar para poder dá-lo aos menos afortunados que êle. Um senhor chegou com seu filho pequeno. Disse-lhe que o menino gostava tanto dela que resolveu guardar a mesada para dar de presente aos pobres. Ele ficara tão sensibilizado com a atitude do filho, que decidira deixar de fumar e beber um mês a economia se destinou a ela. Alguns budistas japoneses souberam que a congregação de Madre Tereza jejuava toda primeira sexta feira do mês, para destinar aquela economia aos pobres. Imitaram o seu gesto tiveram a atitude de enviar a ela o resultado da sua arrecadação. Com esta importância em dinheiro foi construído o primeiro andar da casa que tinha por objetivo abrigar meninas e mulheres libertas do cárcere.

Madre Tereza sempre enfatizou o valor e o poder da prece, dizia: Se orarmos seremos capazes de amar, e se amarmos seremos capazes de servir. Reze tal qual uma criança. Você deve se dirigir a DEUS como uma criança. Uma criança não tem dificuldade de expressar o que pensa em palavras simples, que dizem muito. Se uma criança ainda não foi desvirtuada e ainda não aprendeu a mentir, ela dirá tudo. É necessário apenas, aquela pequena elevação de mente a Deus ...“Eu te amo, Deus eu confio em ti, eu preciso de ti agora” Disse também : “Que todos deveríamos ajudar a um hindu, tornar-se um hindu melhor. Um mulçumano, a tornar-se um mulçumano melhor. Um católico a ser um católico melhor assim por diante com outras religiões.” O que ela quiz nos dizer é que transformássemos a teoria em prática colocássemos o amor acima de tudo, porque somente o amor transforma . Tudo o que fizermos com amor renderá bons frutos.

Alguns dos muitos prêmios que Madre Teresa recebeu ao longos dos anos por sua dedicação à Humanidade: Em setembro de 1971 recebe em Boston nos E. Unidos o "Prêmio Bom samaritano'. Em 16 de Setembro Recebe em Nova York o "Prêmio Internacional John F. Kennedy". Em 25 de abril de 1973 o principe Philip, da Inglaterra, confere-lhe o "Prêmio Templeton" para a (Promoção de Religião) Em 29 de dezembro de 1975 o Semanário "Times" dedica-lhe a primeira página com o título "Santos vivos: mensagens de amor e paz" Em 17 de janeiro de 1976: O semanário "Paris Match" dedica-lhe a capa. Em 25 de janeiro de 1980: recebe o maior prêmio indiano, o "Bhjarat Ratna" (Jóia da India). No dia 17 de outubro de 1979, recebe em Oslo o Prêmio Nobel da Paz por dedicar 69 anos de sua vida aos pobres e desamparados, quando declarou que "a pior enfermidade de nossos dias não é a lepra ou a tuberculose, mas a falta de afeto"

Madre Tereza nos deixou aos 87 anos vítima de problemas cardíacos em 05 setembro de 1997, ao lados de pessoas das quais sempre cuidou. Não foi escritora nem oradora; não sou uma intelectual nem polemista. Assim ela se definiu: "Sou albanesa de nascimento. Agora sou cidadã indiana. Sou também freira católica. Em meu trabalho pertenço a mundo inteiro. Mas em meu coração pertenço a Cristo" O seu amor continua contagiando os corações iluminando as mentes, servindo de exemplo nos mostrando o verdadeiro caminho do amor. Suas casas solidárias se espalham por 119 países, num total de 560 unidades. Treze delas, no Brasil. "O que conta não é o que fazemos, mas o amor que colocamos no que fazemos, dizia Madre Tereza.

Fonte :Vera Lúcia de Oliveira (Stellamaris) Fontes de pesquisa: Dados retirados do filme e da internet sobre a vida de Madre Teresa de Calcutá Revista Planeta-Meditação "aprenda a rezar com Madre Tereza de Calcutá". Folheto novena à Madre Teresa de Calcutá- Ed. Santuário, Padre Ademir Bernadelli. Livro- Teresa dos pobres: uma conversa com Madre Teresa de Calcutá. Titulo original da obra: Teresa dei poveri - Ed Ancora - Milano, 1992 Autoria do jornalista Renzo Allegri.