A Câmara Nupcial

 

   O Senhor realizou todo um mistério: um batismo, uma unção, uma eucaristia, uma redenção e uma câmara nupcial (Evangelho de Felipe v.68).

 

A Câmara Nupcial é o sacramento mais misterioso deixado pelo Cristo, pois ele não ocorre no mundo da matéria, mas apenas no espiritual. É o local sagrado onde só podem entrar os puros de coração. Os Evangelhos de Felipe e de João tratam magnificamente este sacramento oculto.

"A câmara nupcial não é feita para as bestas nem para os escravos nem para as mulheres sem honra, e sim para os homens livres e para as virgens" (Evangelho de Felipe v.73).

É onde, homem e mulher se reencontram, espírito e alma se reintegram, para reconstruir o Adão Kadmon original.

"Enquanto Eva estava dentro de Adão; não existia a morte, mas quando se separou dele sobreveio a morte. Quando esta retornar e ele a aceitar, deixará de existir a morte" (Evangelho de Felipe v.71).

A morte não existia no mundo enquanto Adão e Eva, Espírito e Alma eram um único ser e se alimentavam da árvore da Vida no Éden. Quando provaram da árvore da morte, perderam sua integridade original e se vestiram de carne. Desde então o Noivo busca a sua Noiva, para que, na Câmara Nupcial, possam novamente se unir.

"Aqueles que se vestiram da luz perfeita não podem ser vistos pelas Potências nem detidos por elas. Pois bem, podemos revestir-nos desta luz no sacramento, na união. Se a mulher não se houvesse separado do homem, não teria morrido com ele. Sua separação tornou-se o começo da morte. Por isso veio Cristo, para anular a separação que existia desde o princípio, para unir a ambos e para dar a vida àqueles que haviam morrido na separação e uni-los de novo" (Evangelho de Felipe v.77-78).

Nossa Alma se separou de sua centelha divina, por isso vaga pelo mundo da matéria sob o domínio das potências astrais. Se o pecado original não tivesse sido cometido pelo desejo de Eva, ou pelo de Pistis Sophia em seguir o ser privado da luz em vez do Ser Pleno de Luz, ainda teríamos nosso corpo de glória e habitaríamos o Pleroma.

Maria Madalena simboliza a Noiva a espera de seu Noivo, o Cristo. Ela é a Alma, sua Companheira, purificada e pronta para se reunir ao Espírito. Ela se preparou para se tornar Una com Jesus.

"Simão Pedro disse à Jesus : "Que Maria saia de nosso meio, porque as mulheres não são dignas da Vida!" Disse Jesus : "Vede, eu me encarregarei de fazê-la homem, para que também ela se torne um espírito vivo, semelhante a vós homens. Pois cada mulher que se fizer homem entrará no reino dos Céus" (Evangelho de Tomé v.114).

No versículo 32 do Evangelho de Felipe temos a chave desse mistério :

"Três eram as que caminhavam continuamente com o Senhor: sua mãe Maria, a irmã desta e Madalena, a quem se designa como sua companheira. Maria é, de fato, sua irmã, sua mãe e companheira".

Todas as mulheres são Maria. Mariam, em hebraico significa "mares", e representam as águas originais modeladas pelo Espírito Santo/Sophia que pairava sobre elas, no Gênesis. Sobre elas, Ele espargiu a sua Luz, e a Vida era a Luz dos homens. As águas virginais que deram origem ao homem, também deram origem ao Filho do Homem, através de sua mãe :

"Digamos – se é permitido – um segredo: O Pai do Todo se uniu com a virgem que havia descido e um fogo o iluminou naquele dia. E ele deu a conhecer a grande câmara nupcial, e por isso seu corpo – que teve origem naquele dia – saiu da câmara nupcial como quem tivesse sido engendrado pelo esposo e pela esposa" (Evangelho de Felipe v.82).

E será através da Câmara Nupcial que a alma poderá buscar sua liberação. Só quando conseguir ser aceita pelo Cristo, e se dedicar totalmente ao seu Consorte, que o Adão original poderá ser refeito e o Espírito habitará novamente no Reino dos Céus.

"A alma de Adão chegou à existência por um sopro. Seu cônjuge é o espírito; o espírito que lhe foi dado é sua mãe" (Evangelho de Felipe v.80).

"A alma e o espírito chegaram à existência partindo de água, fogo e luz por mediação do filho da câmara nupcial" (Evangelho de Felipe v.66).

A Água recebemos pelo batismo, quando entramos para a egrégora Cristã; o Fogo recebemos na Crisma, quando somos abençoados pelo Espírito Santo; e a Luz recebemos na Câmara Nupcial, quando nos unimos em Cristo, realizando a comunhão final com o Salvador.

As Marias representam a terra onde será plantada a videira que dará como fruto a Vida Eterna. Ou ela já é purificada, ou deverá ser tornada pura, para que possa dar a Luz à Criança Sagrada. Na Câmara Nupcial de Maria, sua mãe, o Cristo veio aos Homens, e na de Madalena, sua noiva, Ele ensinou um Mistério aos homens.

 

O Evangelho de João

  

É justamente no Evangelho de São João, que Maria Madalena é descrita como uma das principais personagem dos eventos pascais. O texto da ressurreição, em geral, nos reporta ao Cântico dos Cânticos, onde a Amada busca pelo seu Amado. A busca de Madalena pelo Cristo representa o cumprimento de mais uma profecia : a Noiva parte para o encontro do Noivo na Câmara Nupcial.

"No primeiro dia da semana, Maria Madalena vai ao sepulcro, de madrugada, quando ainda está estava escuro, e vê que a pedra fora retirada do sepulcro" (Evangelho de São João cap. 20 v.1).

No primeiro dia da nova criação, o Alfa e o Ômega se tornam unos. Assim como no início Deus criou o céu e a terra, a ida de Madalena ao sepulcro será para receber o anuncio da nova criação, da nova aliança entre Deus e os homens.

Ainda está escuro pois o mundo ainda está nas trevas, e as trevas não conseguem compreender a Luz. O coração de Maria ainda não se apercebeu que o Vivo triunfou sobre a morte. Talvez por isso ela não consiga reconhece-Lo da primeira vez. A Fé está dentro dela, mas ainda não se manifestou, pois ela não reconheceu o primeiro sinal: o selo estava aberto, a pedra não lacrava mais o sepulcro.

"Vou levantar-me,
vou rondar pela cidade,
pelas ruas, pelas praças,
procurando o amado de minha alma...
Procurei-o e não o encontrei!...
(Cântico dos Cânticos cap. 3 v.2).

A Alma amada se desespera quando não consegue perceber onde está o seu amor: é sua Noite Escura, quando vaga pelo mundo em busca da Luz de seu Espírito. Madalena corre em busca dos demais discípulos e encontra Pedro e João. Ela lhes conta que "levaram o corpo do Senhor". Não reconhece o sinal de Vida Eterna que o símbolo representava. Como a Alma perdida sob o julgo dos Arcontes, Madalena ainda não se apercebeu que a Câmara Nupcial está aberta para ela, faltando apenas que a reconheça.

"(João) inclinando-se, viu os panos de linho por terra, mas não entrou. Então chega também Simão Pedro, que o seguia, e entrou no sepulcro; vê os panos de linho por terra e o sudário que cobrira a cabeça de Jesus. O sudário não estava com os panos no chão, mas num lugar à parte" (Evangelho de São João cap. 20 v.3:8).

João vê os lençóis dispostos como em um leito nupcial. Ele distingue o sinal mas não o compreende. Pedro adentra o sepulcro e vê como João, porém descobre o sudário. O símbolo da morte estava jogado à parte, pois Cristo triunfara e a vencera. A Câmara Nupcial estava pronta, o local de morte se transformara em local de Vida e Fecundidade. O Novo Homem poderia nascer então, mas nem João e nem Pedro estavam ainda preparados para a boda sagrada: a escolhida foi Maria Madalena. Cristo trouxera ao mundo novamente o mistério feminino do Amor e da Misericórdia.

"Encontraram-me os guardas
que rondavam a cidade:
"Vistes o amado da minha alma?"
(Cântico dos Cânticos cap. 3 v.3).

"Maria estava junto ao sepulcro, de fora, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se para o interior do sepulcro e viu dois anjos, vestidos de branco, sentados no lugar onde o corpo de Jesus fora colocado, um à cabeceira e outro aos pés" (Evangelho de São João cap. 20 v.11).

Maria ainda não compreende que o momento é de alegria e que a Câmara já está aberta para ela. O caminho já foi aberto para nós : é através do Cristo que iremos ao Pai. Ela vê, porém não enxerga. Os anjos são seus guardiões, assim como no Pistis Sohpia, Jesus envia Miguel e Gabriel para ajudarem a sua ascensão. Os dois seres de luz estão ali para ajudarem a Alma/Madalena a encontrar seu esposo Espírito/Cristo. A Alma, no entanto, ainda não está preparada. Ela ainda se apega ao sofrimento da matéria e não sente que seu momento de reintegração está próximo. Os anjos perguntam a Maria porque ela chora, e ela insiste em dizer que está a procura do corpo do seu Senhor. Os anjos tentam indicar a Madalena, a esposa da nova aliança, que a velha aliança foi substituída pelo Amor e pela Misericórdia.

Maria vê Jesus de pé, mas não o reconhece. Seu Noivo está presente, mas ainda falta algo para a Alma poder sentir Sua presença. Ele lhe diz "Mulher, por que choras ? A quem procuras ?" Maria continua sem reconhecê-lo, até que Jesus a chama pelo seu nome : "Maria!". Quando é nomeada a Alma descobre a si mesma, e descobre o Cristo ao seu lado. O nome lhe traz à lembrança a Raiz/Espírito a qual pertence, e a comunhão com o Cristo pode ser realizada. A Câmara Nupcial está pronta para as Bodas Alquímicas.

Quando Maria reconhece o Cristo e exclama "Rabbuni!", ela expressa o doce reconhecimento da Alma. Ela suplantou a sua noite negra e finalmente pode se entregar integralmente a seu amado. A Egrégora Cristã está formada. A partir desse reconhecimento, o pecado de Eva está redimido. Como escreveu Hipólito, em um jardim ele foi cometido e em um jardim ele foi redimido. A árvore da vida foi novamente disponibilizada para todos que seguirem o Cristo. A Boda Alquímica foi realizada, Rei e Rainha estão juntos, o Enxofre e o Mercúrio dos Sábios realizaram a grande obra.

"Passando por eles contudo,
encontrei o amado da minha alma.
Agarrei-o e não vou soltá-lo,
Até levá-lo à casa da minha mãe,
Ao quarto da que me levou em seu seio"
(Cântico dos Cânticos cap. 3 v.3).

"Jesus lhe diz: "Não me retenhas, pois ainda não subi ao Pai. Vai, porém, a meus irmãos e dize-lhes: Subo ao meu Pai e vosso Pai; a meu Deus e vosso Deus". Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: Vi o Senhor", e as coisas que ele lhe disse" (Evangelho de São João cap. 20 v.17-18).

A Egrégora foi formada. O caminho foi aberto. Mas à Madalena foi dada uma missão. Ela não podia tocar o Cristo, pois ainda não podia subir com seu Amado para o Céu. Como uma centelha da Divina Sofia, ela deveria ser o mensageiro a todos os cristãos/discípulos/irmãos, da Boa Nova, do Evangelho, dizendo a todos o que o Cristo lhe disse. Sendo o Mercúrio que necessita ser volatilizado, ela também é um caminho para o Cristo: o Amor Divino, A Fé e a Misericórdia.

Então, Maria lamentou e disse a Pedro
"Meu Irmão Pedro, o que está pensando ?
Supõe que eu tenha inventado isto, sozinha,
Em meu coração,
Ou que esteja enganando o Salvador? "
Levi respondeu e disse a Pedro:
"Pedro, você sempre foi encolerizado.
Agora, o vejo argumentando com a mulher
Como estes adversários.
Se o Salvador a fez merecedora,
Quem é você, de fato para rejeitá-la?
Seguramente, o Salvador a conhecia muito bem.
É por isso que a amava mais do que nós.
Antes nos envergonhemos
E assumamos o Filho do homem perfeito.
Vamos trazê-lo para fora de nós mesmos,
Como ele nos ordenou.
Vamos pregar o evangelho,
Sem declarar nenhuma outra regra
Ou outra lei que não seja a que o Salvador disse"
Quando Levi
9 disse estas coisas, eles começaram a seguir adiante
Para proclamar e pregar.
O Evangelho segundo Maria
(Evangelho de Maria, cap. 18-19)