A Santa Pecadora

 

"...como Maria de Magdala recebeu o epíteto de "fortificada com torres" 7 por causa da força e intensidade de sua fé, teve o privilégio de ver o Cristo ressuscitado, mesmo antes dos apóstolos" (São Jerônimo, em Principium Virginem)

Hipólito, bispo de Roma (170-235 D.C), escreveu em sua análise sobre o Cântico dos Cânticos, que Maria Madalena era a representação da noiva no poema de Salomão. Para ele, o amor representado no poema, era o amor espiritual de Maria por seu mestre Jesus, que buscou por ele no sepulcro, e não o encontrando lá, consternada acabou encontrando-o em um jardim. Para Hipólito, ela representava a restauração do pecado de Eva. Da mesma maneira que Eva tentou Adão em um jardim, e foi a causa da queda do homem, Maria Madalena encontrou o Cristo em um jardim e foi a testemunha de sua transformação na Divindade, abrindo o caminho de reintegração do homem ao Adão original. Ele a chama então de "Apóstola dos Apóstolos". 8

Como foi então, que de "Apóstola dos Apóstolos" e encarnação da Sofia Celestial, Maria Madalena se tornou a prostituta de cabelos longos, curada de seus pecados pelo Cristo e que ungiu seus pés , já que não existe, em nenhum texto canônico ou apócrifo, qualquer referência direta sobre ela, que faça alguma alusão a esses fatos ?

Quanto mais ela era reverenciada pelas comunidades gnósticas, mais a igreja de Roma a transformava no epíteto da mulher caída. De mensageira do evangelho ela se tornou, então, o símbolo da mulher que a sociedade da época adotava : do século III em diante, as mulheres já não tem participação ativa na comunidade cristã sob o domínio de Roma, e esta passa a se basear em um triunvirato masculino de bispos, sacerdotes e diáconos. Elas estão marcadas pelo pecado original e são exemplos de impureza. Apenas Maria, a mãe de Jesus, tem o seu status inalterado, passando a englobar em si todas as características positivas dos mistérios femininos.

Mas como foi que essa imagem de pecadora foi formada para Maria Madalena ? Na verdade, criou-se para ela um amálgama de dois, ou três, personagens bíblicos femininos diferentes.