Conheça os Essênios

  
   

 

  • Quando surgiram
  • Notícias históricas
  • A Aliança com Deus
  • Ordens e Afirmações
  • Princípios
  • Organização
  • O  Messias
  • Origem dos Cristãos
  • Relatos Mediúnicos
  • Os Essênios são como santos que habitam em muitas aldeias e vilas da Palestina. Não se unem por clã familiar ou por raça, mas sim por meio de associações voluntárias formadas com o intuito de melhor praticar a virtude e o amor entre as criaturas.
  • Nas suas casas jamais se houve grito ou tumulto. Cada um quando fala cede a palavra ao outro. Este silêncio causa grande impressão no visitante.
  • Sabem moderar a cólera e conservar o equilíbrio. Cumprem a palavra e sustentam a paz. O que dizem vale mais do que um juramento. Aliás, consideram o juramento um sacrilégio, porque só precisa jurar quem é mentiroso.
  • Os que entram para a comunidade se comprometem a não prejudicar ninguém, a ser fiel com todos, especialmente com os que têm poder, uma vez que ninguém ocupa cargos sem que seja pela vontade de Deus.
  • Vivem muitos anos, alcançando facilmente os cem, possivelmente pela regularidade de vida. Suportam a dor fazendo-se fortes contra ela. Sabem que o corpo é perecível, mas que a alma é imortal, vivendo no éter, de onde é atraída para se ligar aos corpos como se estes fossem prisões. Separam-se da carne, libertam-se e elevam-se.
  • Muitos podem prever o futuro e é raro que se enganem nas previsões.
  • Muitos não se casam, porque acreditam que o matrimônio é um impedimento à vida simples. Outros, porém, afirmam que os que não se casam recusam a melhor parte da vida que é a propagação da espécie.
  • A opinião do povo a respeito deles é que são pessoas irrepreensíveis e excelentes.
  • Eles se parecem com monges, estão sempre vestidos de branco, com franjas azuis. Suas ocupações são de índole prevalentemente espiritual, com vistas à pureza pessoal e ao trabalho pelas comunidades.
  • Usam o Pentateuco (O Livro Sagrado) como base o qual utilizam com muito respeito. Afastam-se do mal e unem-se no Torá (O Livro) e nos bens. Obrigam-se por compromisso solene a avançar no conhecimento.
  • Eles dão destaque aos instrutores, mas exigem que esses sejam igualmente superiores nos costumes e nos exemplos. Que pratiquem a Justiça, a Verdade e o Direito, mantendo ânimo afável e modéstia. Que se mantenham do espírito contrito, expiando as próprias faltas, pela prática da Justiça.
  • O poder do instrutor independe de preparo cultural. Assim, se não for capaz de ensinar exemplificando, qualquer leigo poderá desempenhar as suas funções.
  • Relatos mediúnicos admitem que a titulação – essênios – seria derivada de Essen, filho adotivo de Moisés, a quem o legislador entregou o seu acervo para que desse continuidade à sua obra. Quanto ao fundador da comunidade, sabe-se apenas que era conhecido como “Mestre da Justiça”.
  • Jesus censurava a conduta dos fariseus, como fazia João Batista e os essênios. A forma de expressar-se de João Evangelista, Pedro, André, Natanael, era a forma comum entre os essênios;
  • Os essênios pregavam mansidão e humildade, para ser agradáveis a Deus. Foram esses os exemplos dados por Jesus.
  • Os essênios ensinavam o amor ao próximo como a si mesmo. Jesus ensinou que o amor é o mais importante entre as criaturas.
  • Os essênios falaram de um “juízo final” pelo fogo, o mesmo que ensinou Jesus.
  • Os essênios pregaram o “espírito da verdade” e a “vida eterna”. Foi o que ensinou Jesus.
  • Os essênios falaram de um fundamento que não seria abalado. Jesus disse a Pedro que ele seria a rocha que não seria abalada.
  • Os essênios têm os Hinos das Bem-Aventuranças, idéia central de toda a doutrina de Jesus.
  • Os essênios se definem como membros da Aliança igualmente como se diziam os discípulos de Jesus. No Qum Ran, onde viviam os essênios, o Conselho era formado por doze membros, como foram doze os apóstolos. A divisão do pão e do vinho pelo Superior, às refeições, lembra Jesus.
  • Punham seus bens em comum, como aconselhou Jesus ao moço que o procurou: “Se queres ser perfeito, vai, vende todas as tuas coisas e segue-me.”
  • Jesus manteve o hábito do batismo, prática normal entre os essênios. 
  •  

     

    Conheça os Essênios.

    Após a descoberta dos documentos do Mar Morto, na região do Qum Ran, ao sul de Israel, muitas afirmativas de historiadores do início da era cristã foram confirmadas.
    Atualmente, os escritos originais da comunidade essênia, contendo as suas leis, cânticos, hábitos e normas de vida comprovam o que foi posto em dúvida por muito tempo e mereceu pouco crédito por parte dos cientistas e dos religiosos.
    A partir do ano de 1947, e prosseguindo até os dias de hoje, as pesquisas se desenvolvem e já é grande a literatura que trata dessa rara e ocasional descoberta. O fato ocorreu, quando um jovem beduíno na captura de uma cabrita desgarrada, penetrou em grutas nas montanhas da região e ali encontrou vasos que continham informações sobre um povo que ali vivia.

       Este pequeno relato sobre os Essênios, que ora apresentamos, dá uma idéia geral sobre a vida daquela comunidade e busca despertar o interesse de todos para que conheçam um pouco mais sobre ela, já que é grande o número de pessoas que tem curiosidade em saber quem são ou quem foram os Essênios

http://essenios.wordpress.com/about/