Do livro "Anjos do Amor e da Luz" por Linn Fisher

 

Publicado em 03 de novembro de 2009
 
MIGUEL E FÉ
Arcanjo e Arquéia da Fé, da Proteção, da Libertação e do Poder e Vontade de Deus
 
Raio: Azul
O Arcanjo Miguel é o anjo mais poderoso, celebrado e famoso na história, nas escrituras, na arte e na literatura. Ele e o seu complemento, Fé, representam a proteção, a libertação e a fé. Trabalhando através do primeiro raio, o raio azul, eles ampliam o poder e a força de Deus. O Arcanjo Miguel usa a força de um guerreiro para proporcionar proteção para a humanidade. Quando trabalhamos com o Arcanjo Miguel, ele nos mostra como aumentar a nossa habilidade em interagir com os problemas. Ele nos ajuda a seccionar todas as perturbações, e transpormos um caminho para a serenidade. Enquanto ele é um guerreiro, a sua vitória é obtida com gentileza. Ele nos ajuda a sermos como Jesus disse: "Astuto como uma serpente e dócil como uma pomba".
O Arcanjo Miguel trabalha com a Arquéia Fé, pois o poder trabalha com a fé. O Poder é a vontade que está atrás de toda a ação. A Fé é a habilidade em saber que as suas necessidades serão manifestadas. É necessário saber que as suas ações serão bem sucedidas. Sem a Fé, a ação seria impossível. A energia masculina ativa do Arcanjo Miguel, é sustentada pela energia feminina estimulante da Arquéia Fé. Juntos, eles nos ajudam a manifestar os nossos maiores desejos.
Miguel e Fé, os anjos condutores e regentes do primeiro raio, nos protegem das intenções do mal, e das falsas ilusões. Eles seccionam tudo o que é irreal.
O raio azul, como já discutido, é uma das três chamas que residem dentro da câmara secreta do coração como parte da Chama Trina. O raio azul é irradiado mais intensamente para a Terra na Terça-Feira, criando esplêndidos raios solares de luz energética do "Grande Sol Central", conhecido como o centro do universo, a fonte de todo o amor, toda a cura e todo o crescimento. Os anjos do primeiro raio regem o chacra laríngeo (garganta).
O Arcanjo Miguel e a Arquéia Fé resplandecem sobre a Terra do seu retiro celestial sobre Banff e Lake Louise, no Canadá, no Templo da Fé e da Proteção.
Os eruditos religiosos avaliam Miguel como o mestre de todos os anjos. Seu papel de liderança é incontestável. Ele é chamado de príncipe, ou grande senhor, diretor do reino angélico, comandante da hoste celestial e governador (vice-rei) dos céus.
Em Hebraico o nome Miguel significa nada menos do que: "Quem é Deus", ou "Quem é como Deus".
Na famosa Guerra no Céu, Miguel é o anjo legendário que expulsou o rebelde Satã do Céu após derrotá-lo. Este é um exemplo de como Miguel desempenha o papel de derrotar as forças do mal. Miguel é mais comumente representado na arte clássica com uma espada desembainhada.
Ele é também representado como aquele que mata o dragão.
O Papa Pio XII o designou como a anjo padroeiro dos agentes de polícia e os Católicos Romanos chamam S. Miguel de santo padroeiro da Alemanha, dos donos de mercearia, dos soldados pára-quedistas, dos radiologistas e dos doentes, de acordo com Butler, em seu livro: "Vidas de Santos". H.C. Moolenburg, autor de "Um Manual dos Anjos", diz que o papel de Miguel como aquele que mata o dragão é análogo à batalha entre o espírito e a carne.
O dragão é o símbolo para a prisão da matéria, "o desejo de dar aos objetos materiais o caráter duradouro." Miguel nos diz que é uma proposição perdida tentar dar permanência ao plano temporal da matéria. É a luta fundamental contra oponentes imaginários, a adoração de falsos ídolos.
Resumindo, ela está dirigindo na direção oposta da evolução espiritual. "Miguel é, portanto, o inexorável oponente de Satã, ele que tentou fazer do homem um materialista. A controvérsia entre estes dois durou desde o início da criação, se formos acreditar nas velhas histórias", diz Moolenburg. Moolenburg conta também uma história sobre a I Guerra Mundial, que coloca a presença de Miguel na Terra em termos muito materiais.
Durante uma batalha entre o Exército Alemão e o Britânico, os Alemães estavam derrotando os Britânicos, quando subitamente os guerreiros Britânicos viram os seus ferozes oponentes se retirando em pânico. Os Britânicos levaram inúmeros prisioneiros Alemães naquele dia. Cada um dos prisioneiros contou a mesma história. Eles estavam atirando continuamente nos Ingleses, quando subitamente uma visão horripilante de um exército apareceu indistintamente na frente dos Britânicos. Os guerreiros estavam vestidos de branco e galopavam em cavalos impecavelmente brancos. Os Alemães pensaram que o exército poderia ser tropas de reforço enviadas de Morocco. Mas quando eles começaram a atacá-los, atirando com armas de fogo, nenhum homem parecia ser tocado. Então eles perceberam que o exército era conduzido por um poderoso soldado de cabelo louro e um halo ao redor de sua cabeça. Os Alemães fugiram aterrorizados. Mas os Britânicos nunca viram nada. Esta visão foi documentada tanto nos anais Britânicos, quanto nos Alemães, como o milagre da cavalaria branca de Ypes.
O Arcanjo Miguel é famoso por mais do que suas qualidades guerreiras. Como o anjo da libertação, ele anunciou à Mâe Maria a aproximação de sua morte. Ele foi desenhado por Fra Filippo Lippi como o anjo alado, segurando uma vela para a Virgem, quando ele lhe diz de sua morte iminente, de acordo com Gustav Davidson, em "Um Dicionário de Anjos". No Livro de John Ronner "Conheça os seus Anjos", Miguel leva as almas dos mortos ao após vida. Uma música gospel "Miguel conduz o barco em direção à terra firme", parece se referir à Miguel ajudando as almas a atravessar as águas da Terra ao Céu.
Os Cristães invocam S. Miguel como o anjo da morte, no sentido de libertação e de imortalidade, pois ele conduz as almas dos fiéis "para a luz eterna", diz Davidson. Freqüentemente quando os humanos descrevem uma experiência com os anjos, eles identificam o ser celestial como Miguel.
Joana D'Arc disse que Miguel e outros espíritos celestiais a ajudaram a levar os Franceses à vitória sobre os Ingleses na Guerra dos Cem Anos.
E novamente, era Miguel que reteve a mão de Abraão quando o patriarca estava prestes a matar o seu filho Isaac, embora outros digam que este foi o trabalho de Zadkiel.
Na mitologia Judaica, Moisés viu a imagem de Miguel no arbusto ardente. No Livro de Adão e Eva, Miguel conduz os anjos ao Jardim do Éden para olhar a criação recentemente formada de Adão. Satã, enquanto ainda entre a fileira de anjos, diz que deveria ser o homem que se curva diante dos mensageiros de Deus. Por esta arrogância, Deus expulsou Satã e os seus seguidores do paraíso. Mais tarde quando Adão e Eva são também expulsos, Miguel ensina Adão a sobreviver através da agricultura. Quando Adão morre, Miguel purifica a alma do primeiro homem.
Assim como Miguel representa um papel de liderança na tradição angélica, assim também o raio que ele governa mantém uma parte brilhante na teoria das Escolas de Mistério do fogo iluminador, conhecido como a Chama Trina. Ele é poder, desejo e ação. Suas habilidades cruciais são ajustadas pela fé e pelo amor. De fato, cada ação que fazemos, deveriam ser ajustadas pelas mesmas qualidades da consideração e da compaixão.
Miguel e Fé, como todos os anjos, são capazes de incorporar uma forma pura da energia de Deus. Suas qualidades harmonizadas trabalham juntas para elevar o véu da ilusão. Este véu, que caiu sobre o homem, é a nossa queda da graça. A Fé, o uso correto da vontade de Deus, e a eterna proteção e o cuidado de Deus podem nos levar novamente ao nosso estado original da unidade com Deus. Invoquem a energia amorosa do Arcanjo Miguel e da Arquéia Fé quando precisarem de coragem para alcançar o sucesso em qualquer aventura, ou precisem de força e de proteção da adversidade. Eles seccionam o véu da ilusão ou da negatividade que os envolve. Se sentirem um desejo especial em usar a cor azul, ou que sejam atraídos em geral para esta cor, vocês podem operar naturalmente no primeiro raio e sentirem uma afinidade com Miguel e Fé.
Vocês operam em seu máximo potencial, usando as qualidades da fé, vontade, poder e proteção. Como todos se adaptam a um estilo particular, trabalho, etc., cada um de nós tem um ou mais arcanjos que serão uma ajuda especial para nós. Muitos policiais, por exemplo, serão atraídos para as qualidades de Miguel e Fé.
Quem é um melhor policial, orgulhosa e honradamente vestindo o uniforme azul, do que aquele que esteja confortável com o seu poder, e que seja também ligado a uma forte fé ou crença na retidão ou justiça?
-------------------------------------
Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
Pedro Coelho
http://www.luzdegaia.org/