Jesus e os Essênios

 

Avatares

AVATAR: tem um significado muito difícil de se tratar numa linguagem não mística, mas poderia se dizer que seriam seres altamente iluminados que surgiam para anunciar certas mudanças por ordem do SER CÓSMICO chamado de DEUS, em outras palavras, seria a materialização do Próprio Deus. Todos os Avatares tinham um nascimento virginal, sendo este incidente da vida dos avatares algo difícil de se entender, é preciso alcançar um grau muito elevado de ensinamento místico para se compreender uma concepção e um nascimento dos avatares. O Mestre Jesus “O Cristo”, foi considerado o maior de todos os Avatares, sendo Ele chamado como “O Filho de Deus”. Jesus nasceu de pais gentis por cujas veias circulava sangue "ariano" em cujo coração e mente haviam estabelecido os ensinamentos da Fraternidade essênia e os ensinamentos mais secretos da Grande Fraternidade Branca. Na Bíblia cristã está escrito que os pais de Jesus viviam na Galiléia, eram, portanto, galileus em toda extensão da palavra. Os pais de Jesus eram arianos de raça gentil por religião, místicos por idéias filosóficas e judeus não por raça, e sim por forçada adoção. Desde o ano 103 a.C. os gentios da Galiléia viram-se obrigados a aceitar a lei de Moisés. Com isso, fica mais fácil de se entender e compreender muitas das afirmações aparentemente estranhas que se encontram nas sagradas escrituras. O país da Galiléia também era chamado de Hamath (este nome aparece no antigo testamento), mas parece que os eruditos modernos não sabem que Hamath foi à antiga capital da Galiléia, bem próximo ao sul da Tibéria na costa ocidental do mar da Galiléia..

O Nascimento Místico de Jesus:

Na época do nascimento de Jesus, a Fraternidade dos essênios, como parte da Grande Fraternidade Branca, não só estava bem estabelecida em vários pontos do Egito e Palestina, como o grande centro de membros egípcios em Alexandria, e seu vasto distrito da Galiléia, mas que a corporação mantinha um grande templo secreto em Heliópolis do Egito onde se reuniam os oficiais supremos e celebravam as cerimônias solenes da organização. Em Jerusalém havia outro templo menor para as cerimônias sagradas dos essênios, situado junto a uma das portas da cidade, onde se reuniam os altos dignatários dos essênios com o objetivo de praticar suas cerimônias. O Sumo Sacerdote do Templo em Jerusalém se chamava Joaquim e sua esposa Ana, sendo esses os pais de MARIA (futura mãe de Jesus), ou seja, sendo ela filha de quem era, foi desde criança, educada e instruída nos altos e místicos ensinamentos de elevados graus esotéricos, e como que preparada para o que aconteceria posteriormente. Desde pequena, Maria era chamada de "Pomba". Ao fazer doze anos de idade, Maria deu sinal de fertilidade denotando a chegada do dia em que seus pais tinham de cumprir o voto (secreto) diante de Deus (Ser Cósmico e Universal) assim se reuniram com os outros sacerdotes, onde uma Forma Espiritual anunciou que seria indicado um dos membros, já viúvo, para que Maria ficasse a seus cuidados. Um viúvo chamado José, membro da comunidade essênia da Galiléia, foi se reunir com outros viúvos no templo de Hélios, onde congregados, o sumo sacerdote tomou 144 varas sagradas e purificadas no altar, deu uma a cada viúvo, sem que houvesse nelas sinal algum da eleição prometida pela voz, José foi o último a receber a vara, porém a levantou para saudar o sumo sacerdote, foi ai que surgiu da vara uma pomba branca e pousou na cabeça de José, a quem disse o sumo sacerdote: "foi ele o escolhido para guardar contigo em sua casa a Virgem destinada ao templo de Hélios". Assim então, Maria foi viver com o viúvo José, e certo dia apareceu-lhe a figura de um Grande Mestre, dizendo-lhe: "não temas, vim lhe trazer uma mensagem de muito agrado, Maria, Santa Virgem e Sagrada Pomba de Hélios, porque chegou a hora de que se cumpra a profecia dos Magos. Tens achado graça diante de Deus e em teus irmãos e conceberás por PALAVRA DE DEUS. E Maria respondeu: conceberei por PALAVRA DE DEUS". Com o passar dos meses, a notícia da vinda do Prometido Salvador, Rei dos Reis, se espalhou pelos ouvidos do povo. Os governantes daquela época começaram a se preocupar com tal notícia, pois isso estava fortalecendo o povo com esperanças que poderiam se manifestar de forma negativa referente ao domínio do Império Romano. Até que Herodes ouviu que havia nascido um grande Rei no que se cumpriam as predições dos profetas, foi averiguar o acontecido. Quando os Magos da Fraternidade ficaram sabendo das ameaças de Herodes, avisaram a José e bendizeram a Maria e ofereceram ouro, incenso e mirra, e José e Maria prosseguiram em viajem por outro caminho. Em algumas anotações escritas em pergaminhos, Mateus na verdade afirma que Jesus nasceu em uma gruta essênia existente no antigo caminho para Belém.

A Educação de Jesus:

Sendo Jesus um avatar Filho do Ser Deus, estava completa e perfeitamente em contato com a Mente Cósmica e com a Consciência de Deus, mas mesmo assim, tinha que receber uma educação gramatical para poder expressar seus ensinamentos e grandes verdades universais, teve os mais ilustres mestres no seu período da infância e aprendeu vários idiomas, dialetos e simbologias, aprendeu hebreu e grego entre outros.Também Estudou muitos anos em escolas da Fraternidade do Egito, sendo certo que com o passar dos anos, Jesus ingressou na escola de Carmelo para iniciar sua preparação disciplinaria como um FILHO DE DEUS E UM AVATAR. Na escola de Carmelo, foi atingindo graus cada vez mais altos até se tornar o MESTRE JESUS. Atingiu o maior grau e tornou-se o Mestre dos Mestres. Por não haver nenhum mestre superior a ele para lhe ensinar algo a mais, tornou-se dignamente o GRANDE AVATAR E MESTRE JESUS - O CRISTO. Assim sendo, já estava apto para mostrar e ensinar as mudanças e mensagens de Deus, atingindo assim o propósito de sua vinda entre os humanos. Os Essênios respeitavam a vida acima de tudo, escreveram os mais antigos textos bíblicos e influenciaram o cristianismo.

Os Essênios e Jesus.

- Dos 12 aos 30 anos de idade, a Sagrada Escritura não informa e nem faz referências sobre as atividades do SENHOR. Por esta razão, sendo um tempo em que não existem notícias sobre a Vida de JESUS, muitas hipóteses são formuladas sugerindo incríveis possibilidades: como se ELE estivesse viajando para outras nações, ou estivesse atuando na seita dos Zelotes que queria libertar Israel do poderio militar de Roma, ou ainda, que neste período estivesse convivendo com os Essênios.

Principalmente no caso dos Essênios, muito foi escrito e falado, e muitas provas foram arquitetadas e arranjadas. A maioria dos argumentos se baseavam em pergaminhos escritos naquela época, que foram encontrados casualmente dentro de jarras de barro, em 1947, por um jovem beduíno, numa caverna em Khirbat Qumran, em Israel. Estes documentos são conhecidos como os “Manuscritos do Mar Morto”. O achado despertou o interesse de estudiosos e arqueólogos, que empreenderam uma ampla pesquisa e realizaram escavações, localizando e desenterrando um Mosteiro Essênio, descobrindo muitos outros manuscritos que falam sobre eles, sobre a época em que viveram e sobre as doutrinas da Seita, permitindo-nos saber que eram monges, que se assemelhavam quanto ao comportamento, as regras e os hábitos de suas vidas, a uma ordem religiosa moderna. Levavam uma vida muito austera, praticando o celibato, a humildade e a pobreza. Tinham seus bens em comum e vestiam-se com túnicas branca, para simbolizar a pureza moral que cultivavam. Exercitavam intensamente a espiritualidade, sempre orientada para o DEUS UNO, da mesma forma, que acreditavam e aguardavam a vinda do Messias. Consideravam-se como perfeitos santos, como depositários dos mais secretos desígnios do CRIADOR, e com grande ênfase, pregavam a necessidade da prática do amor fraterno e das boas obras, assim como aguardavam a luta definitiva entre o “bem” e o “mal”. Eram praticamente eremitas do deserto. Segundo o relato dos manuscritos, fazem menção a um personagem que existia no meio deles, a quem chamavam de “Mestre da Justiça” ou “Mestre da Retidão”. É justamente a este “Mestre”, que diversos pesquisadores e alguns historiadores insistem em afirmar que era JESUS, que estava vivendo entre os essênios no período oculto de sua vida.

- É verdade que existiram os monges essênios e que eles viveram na época de JESUS, tinham uma vida irrepreensível, assim como um “Chefe” exemplar, um homem digno, honesto, considerado por todos como uma pessoa “justa”, que possuía qualidades notáveis, raramente igualadas por outro ser humano. Sabemos ainda, que São João Evangelista, Discípulo do SENHOR, os admirava e sempre que se referia a eles, o fazia com muita simpatia e consideração, pelo fato de que os monges essênios eram realmente, uma respeitada facção religiosa judaica, antes e logo após o alvorecer do Cristianismo. Dessa forma, em vista de todas estas qualidades admiráveis, é perfeitamente admissível e normal que São João Evangelista, assim como qualquer outro Apóstolo reconhecesse nos essênios a grandeza de sua obra, apreciasse as suas notáveis e preciosas qualidades, assim como reverenciasse o valor de seu espírito. A Seita dos Essênios, assim como todas as outras existentes, praticamente desapareceram na guerra do ano 70 dC, quando as legiões romanas comandadas por Tito, constituída por soldados adestrados e bem armados, destruíram a cidade de Jerusalém, incendiaram o Templo e aniquilaram todos os focos de agitação no território judeu, inclusive os grupos religiosos, que no pensamento romano, eram considerados suspeitos.

Dos Essênios restou a lembrança, representada pelas relíquias arqueológicas e pelos manuscritos, que são motivos de estudos e apreciações. Resultante única do massacre das guerras, do fanatismo de governantes e das perseguições de burlescos imperadores e mandatários vis, que mataram muita gente e fizeram correr muito sangue, que destruíram muitas esperanças e causaram muita miséria e dor.

 

http://sergioperini.sites.uol.com.br/essenios.html