Kate A. Spreckley

 

 



Ninguém alguma vez disse que criar os filhos fosse fácil, mas ser pais das Novas Crianças é até mais do que um desafio. Elas não somente nos capacitam a encararmos os nossos problemas, nossos medos e nossas responsabilidades, mas elas nos capacitam a recriarmos as nossas vidas. A vivermos a nossa Verdade e a "vivermos o nosso discurso".

Ser pais destas Novas Crianças se torna evidente até antes da concepção quando nos encontramos em posições onde mudamos a direção de nossa vida. Nós começamos a interagir com as nossas inseguranças, e começamos uma jornada de auto-descoberta que nos leva a um espaço de amor incondicional. Deste espaço nós acharemos mais fácil sermos pais de nossos filhos de modos que sejam necessários para um indivíduo equilibrado, íntegro e saudável.

Criar estas Novas Crianças é certamente um presente e um privilégio e elas trazem também muitos presentes. Um dos seus maiores presentes é a rápida evolução da raça humana e da Mãe Terra, a um espaço onde todos possamos criar amor, paz e felicidade. Um espaço que será seguro para os nossos filhos e os seus filhos que virão. Um espaço onde os nossos filhos sejam livres para ser quem eles são, livres para criar de um espaço de amor e não de medo. Um espaço onde eles sejam apoiados e encorajados para alcançarem o seu total potencial.

Todos nós tomamos por certo os muitos e pequenos prazeres que compõem o nosso mundo, mas as nossas crianças tomam conhecimento e nos forçam a parar e a tomarmos conhecimento das pequenas maravilhas que preenchem cada dia nosso. Se não paramos e aproveitamos o tempo para observar, nossas crianças se tornam infelizes, agressivas, irritáveis e doentes. Deste modo elas nos levam a viver no momento presente e a reconhecer quem somos, por que estamos aqui e qual é o nosso propósito. Elas ajudam a nos conduzir ao longo da jornada para os nossos eus interiores e para a nossa verdade. Elas são a resposta as nossas orações. A resposta a um mundo de negação, de separação e de tumulto.

As Novas Crianças são cheias de poder, um poder amoroso que ajuda a nos capacitar a encontrar a nossa verdade e a seguir a jornada que nos levará a um lugar de evolução. Para criar um Novo Mundo onde todos possamos viver como indivíduos seguros em nosso próprio amor próprio. As crianças estão conectadas juntas como uma consciência, mas estão aqui para viver esta consciência como um indivíduo. É nossa a responsabilidade como pais, zeladores e professores defender e apoiar esta individualidade, de modo que ela não fracasse e, portanto, nós como uma raça humana temos a oportunidade e o poder de sermos indivíduos e conectados com esta consciência.

Estas crianças têm confiança e fé absoluta em si mesmas, em nós e em um poder superior. Elas nos mostrarão de muitos modos o que significa ter fé. Não apenas em nós mesmos, mas no Universo e em Deus. Elas colocam amor e confiança absolutos em nossas mãos quando elas são criadas para nós e é uma responsabilidade imensa que se aceitas alegremente, trarão somente paz, harmonia e o mais importante, amor em nossas vidas. Muitos de nós não sabemos o que significa ser amado incondicionalmente, nem sabemos como dar o amor incondicional. Esta é a nossa lição e o presente de nossas crianças. Devemos virar as nossas costas a isto por causa do medo?

O medo não é uma emoção que estas crianças conheçam ou compreendam. É uma emoção artificial que não existe nos reinos mais elevados da consciência. O medo é o oposto do amor e quando tentamos criar algo a partir do medo e não no amor, não estamos mais sendo verdadeiros conosco. Em nossa essência, somos seres de amor e, portanto, nossas crianças nos requerem que curemos as nossas separações e os nossos sofrimentos, de modo que comecemos a refletir o nosso verdadeiro eu.

Muitos pais e professores reconhecerão que os velhos modos de criar e de disciplinar as crianças não mais funcionam. As Novas Crianças não respondem à disciplina baseada no medo e percebemos que obtemos mais de nossas crianças quando nos engajamos com elas e as disciplinamos através de um espaço de amor. Novamente, nós seremos forçados a nos observarmos e ao modo como respondemos às situações e circunstâncias. Nós precisaremos nos tornar conscientes dos padrões que criamos e redefinirmos e renegociarmos os nossos limites. Nossas crianças encontrarão segurança em nosso conhecimento de nós mesmos, de nossos próprios limites e de nossos próprios modos de relacionamento. Nós somos o seu modelo para viver esta vida e é nossa a responsabilidade, como pais, zeladores e professores, de mudarmos o modelo do passado em tudo o que fazemos. É o momento para que foquemos as nossas energias em nos corrigirmos e nos aceitarmos. Deste modo nós retornaremos ao caminho com uma consciência mais elevada, onde possamos estar criando o nosso Novo Mundo a um nível físico. Sem julgamento, sem medo e somente com amor.



Publicado em 06 de janeiro de 2010


--------------------------------------------------

Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
Fonte em Português: http://www.novasenergias.net/kate/answeredprayer.html
Fonte em Inglês: www.spiritpathways.co.za Site de Kate, Spirit Pathways

Pedro Coelho
http://www.luzdegaia.org/